Olá atletas da comunidade mais condicionada do Recife, tudo certinho?

Hoje vamos fazer uma análise sobre o Crossfit Games.

O que será que podemos aprender com os resultados deste ano?

Peguem a pipoca “paleo” e vamos lá.

  • O Crossfit está cada vez mais Global

Apenas dando uma olhadinha rápida no Ranking final é fácil perceber como os países ao redor do mundo estão crescendo e retirando aquela hegemonia americana.

No TOP 5 masculino apenas 2 americanos, e no TOP 10 metade deles nasceram na terra do Tio Sam. Isso a alguns anos era impensado.

Em 2015 apenas 2 homens eram estrangeiros dentro do TOP 10, mesmo tendo a mesma quantidade de estrangeiros no geral(ou até mais devido ao formato novo dos regionais).

No feminino a coisa é mais gritante ainda, no TOP 5 ninguém é americana, e no TOP 10 apenas 2 atletas nasceram nos Estados Unidos.

Quando você percebe que existem mais de 13 mil Boxes de Crossfit ao redor do mundo e que metade disso está apenas nos EUA a queda desse monopólio é histórica.

  • O Crossfit Games é um esporte sem padrão físico comum

Existem esportes que o padrão físico é muito claro como Basquete(altos), Natação(altos, pernas finas e troncos largos) e Ginástica Artística(baixos e com troncos fortes). 

Muitas pessoas argumentavam que o Crossfit também era um esporte de padrão físico claro, porém os resultados desse Crossfit Games quebraram esse dogma.

O Segundo lugar no Masculino foi do Canadense Brent Fikowski, que é muito alto e é o que chamamos de “ectomorfo”, que seria algo como genética “magra”.

Claro que existem vantagens em ser mais musculoso e baixo, porém, aparentemente ser alto não é tão ruim assim, ainda mais no Crossfit Games com tantas provas de correr, arrastar, carregar e saltar que são mecânicas na qual o mais alto, geralmente, tem vantagem.

No lado feminino, o pódio é completamente heterogêneo.

Em primeiro lugar a Tia é mais magra e definida, em segunda a Kara já é bem mais pesada, larga e com menos definição, e em terceiro vem a Annie Thorisdottir que parece um Robocop de tão grande.

Então não, o Crossfit não é um esporte de padrão físico escancarado.

 

  • A metodologia do Crossfit ainda está em desenvolvimento!

E isso é massa!

Greg Glassman, a uma década atrás falou que o Crossfit seria um laboratório eterno, e muita gente duvidou, argumentando que uma hora a ciência e os treinadores acharão uma forma mais eficiente de treinar, um padrão, como em muitos outros esportes já encontraram.

Com os resultados dos Games deste ano podemos comprovar que o Glassman estava certo.

Cada atleta de Crossfit treina, muitas vezes, de forma completamente diferente.

Os americanos tendem a ter um formato de treino um pouco semelhante, os Europeus treinam de forma bem diferente, mas isso na verdade muda muito de Coach para Coach.

Tem atleta que treina apenas 4x na semana, tem atleta que treina todo dia, tem atleta que a periodização é quase randômica, tem atleta que tem a periodização detalhadíssima e por ai vai indo… Infinitas variações e metodologias.

Qual é a melhor? Ao contrário do que muita gente diz por ai, não existe metodologia de Crossfit melhor.

A prova disso é que a Austrália venceu metade das vagas de pódio. Primeiro e segundo lugar no feminino, e terceiro lugar no masculino. Um país que, praticamente, nunca tinha pego nenhum pódio, e possuem pouquíssimos coaches renomados.

Muitos atletas de coaches renomados não tiveram sucesso, atletas que fazem parte das programações mais caras do mundo não tiveram sucesso, atletas novatos que treinam em Boxes com 200m quadrados, chegaram ao pódio.

O Crossfit estará sempre em mudança para poder estar sempre em evolução!

Isso é mais uma das coisas que tornam o nosso esporte tão atraente e divertido.

 

  • O Brasil está no caminho certo!

Você percebe que o Brasil está no caminho certo quando é o segundo país em número de Box de Crossfit no MUNDO, isso em bem pouco tempo!

O brasileiro aderiu ao esporte do fitness!

Porém estamos aqui para falar do resultado dos Games.

O QUE FOI O SNATCH DO GUI MALHEIROS? O QUE FOI ESSE SEGUNDO LUGAR NO ADOLESCENTE 16-17 ANOS?????

Será GUI o nosso Neymar do Crossfit?

Se ele continuar nesse ritmo de treino, saudável e evoluindo desta forma, podemos esperar um atleta no Crossfit Games, na categoria principal, em 2 ou 3  anos.

Não podemos esquecer do Anderon Primo que tem apenas 22 anos e já é o atual Tri-campeão Brasileiro e também tem um potencial gigante!

Dando uma de Nostradamus, eu digo que o Brasil será uma potencia no esporte, assim como são os EUA, Canadá, Australia e Islândia.

É só uma questão de tempo.

 

  • Matthew Fraser é o melhor atleta de Crossfit de todos os tempos

Este último ponto é altamente discutível e por que não polêmico, mas acredito que não é leviano depois desses 2 anos que se passaram considerar Fraser o melhor atleta de Crossfit de todos os tempos.

Ta certo que Froning tem o dobro de títulos, mas ele NUNCA ganhou com a facilidade que Fraser ganhou em nenhum dos seus dois anos, Rich nunca foi tão dominante.

Esse ano Fraser bateu o número de provas vencidas de Froning, na metade do tempo.

E se você parar para pensar que o esporte está extremamente mais competitivo agora do que antes, é ainda mais difícil de contra argumentar que Fraser é o melhor.

Claro que, Froning será sempre o Pelé do Crossfit, ganhou “tudo” que participou.

Porém os números não mentem.

Provavelmente, Rich no auge contra esse atual Fraser, o atleta de Cookville não venceria, e talvez nem fosse tão “pau a pau” assim como muita gente imagina.

Fraser consegue ser dominante em praticamente todos os aspectos do esporte, e conseguiu melhorar suas fraquezas como Froning nunca conseguiu.

Temos que tirar o chapéu para o cara.

O que será que vamos aprender com os próximos Crossfit Games?

Não perderemos por esperar!

Um abraço a todos e Bons treinos!

Facebook Comments